Mês: março 2014

É PRECISO CAMINHAR 2014-03-31 18:44:00

 
TRABALHAR EM PROL DO BEM DO HOMEM

Quarta-feira da IV Semana da Quaresma

02 de Abril de 2014

 

Primeira Leitura: Is 49,8-15

 
8 Isto diz o Senhor: “Eu atendo teus pedidos com favores e te ajudo na obra de salvação; preservei-te para seres elo de aliança entre os povos, para restaurar a terra, para distribuir a herança dispersa; 9para dizer aos que estão presos: ‘Saí!’ e aos que estão nas trevas: ‘Mostrai-vos’. E todos se alimentam pelas estradas e até nas colinas estéreis se abastecem; 10 não sentem fome nem sede, não os castiga nem o calor nem o sol, porque o seu protetor toma conta deles e os conduz às fontes d’água. 11 Farei de todos os montes uma estrada e os meus caminhos serão nivelados. 12 Eis que estão vindo de longe, uns chegam do Norte e do lado do mar, e outros, da terra de Sinim”. 13 Louvai, ó céus, alegra-te, terra; montanhas, fazei ressoar o louvor, porque o Senhor consola o seu povo e se compadece dos pobres. 14 Disse Sião: “O Senhor abandonou-me, o Senhor esqueceu-se de mim!” 15 Acaso pode a mulher esquecer-se do filho pequeno, a ponto de não ter pena do fruto de seu ventre? Se ela se esquecer, eu, porém não me esquecerei de ti.

 

Evangelho: Jo 5,17-30

 
Naquele tempo, 17Jesus respondeu aos judeus: “MeuPaitrabalhasempre, portantotambémeutrabalho”. 18Então, os judeusaindamais procuravam matá-lo, porque, além de violaro sábado, chamava Deuso seuPai, fazendo-se, assim, iguala Deus.  19Tomando a palavra, Jesus disse aos judeus: “Emverdade, emverdadevos digo, o Filhonão pode fazernadaporsimesmo; ele faz apenas o quevê o Paifazer. O que o Pai faz, o Filhoo faz também. 20O Paiama o Filho e lhemostratudo o queelemesmo faz. E lhemostrará obrasmaioresainda, de modoque ficareis admirados.  21Assimcomoo Pai ressuscita os mortose lhes dá a vida, o Filhotambémdá a vida a quemelequer. 22De fato, o Painão julga ninguém, masele deu ao Filhoo poder de julgar, 23paraquetodos honrem o Filho, assimcomohonram o Pai. Quemnãohonrao Filho, tambémnãohonrao Paiqueo enviou. 4Emverdade, emverdade, euvos digo, quem ouve a minhapalavra e crê naquele queme enviou, possui a vidaeterna. Não será condenado, poisjá passou da mortepara a vida. 25Emverdade, emverdade, euvos digo: está chegando a hora, e já chegou, emque os mortosouvirão a voz do Filhode Deus e os quea ouvirem viverão. 26Porque, assimcomo o Pai possui a vidaemsimesmo, do mesmomodo concedeu ao Filhopossuir a vidaemsimesmo. 27Alémdisso, deu-lhe o poder de julgar, poisele é o Filho do Homem. 28Não fiqueis admirados comisso, porque vai chegar a horaemquetodos os que estão nostúmulos ouvirão a vozdo Filho e sairão: 29aquelesquefizeram o bem, ressuscitarão paraa vida; e aquelesque praticaram o mal, para a condenação. 30Eunãoposso fazernadapormimmesmo. Eujulgo conforme o queescuto, e meujulgamentoé justo, porquenão procuro fazera minhavontade, mas a vontadedaquele quemeenviou. (Jo 5, 17-30)

——————–

O evangelhodeste dia é a continuaçãodo evangelho do diaanterior. Seuscontemporâneosjudeusperseguem Jesus porqueEle violou o Sábadoporque curou o paralíticonesse diaqueparaeles é muitosagrado. Jesus justifica suaatuaçãocom umas palavrasque acabam agravando a situação: Jesus chamaDeus de Paie faz igual ao Pai: “MeuPaitrabalhaatéagora e eutambémtrabalho”.

Precisamos sublinhara diferençasobreo tema do Sábadonos sinóticos (Mt, Mc e Lc) e no evangelho de João. No evangelhode João a cura no Sábadonão tem comoobjetivorelativizara lei do Sábadocomonosevangelhos sinóticos, embora acabe relativizando o Sábadoemfunçãoda salvação do homem. O evangelho de João quernosdemonstrara autoridade de Jesus sobreo Sábadoquevem porsuaigualdadecomDeus, comolemos no texto: “MeuPaitrabalhaatéagorae eutambémtrabalho… O queo Pai faz, o Filhoo faz também”.

As razõespara esta interpretaçãose encontram no Gn 2,2-3 ondeDeusdescansano mesmodiaque termina a obrada criação. Nesta perspectivaJesus resgata a dimensão criadora do Sábado devolvendo a vidae a liberdade ao homemenfermo, ao mesmotempo, demonstra a uniãoperfeitaentrea ação de Jesus e a açãodo Pai. O pontode partida é queo Pai continua sendo o Autor da obra e o Filhoseucumprimentodefinitivo. O projeto de Jesus atualiza o projeto de Deusque continua tendo comofundamentoDeusPai, o amor, a fé, a Palavrae a vida. Se quisermos unirnossoprojetocom o projetoque vem do Paie passapeloFilho, devemos trabalharemtorno desse fundamento. Os projetossãomuitos, mas o problemase eles estão emcomunhãocomo projeto de Deus. Ao fazerqualquerobraoutrabalhopastoraldevemos lançarprimeironossoolharparao Pai e o Filho, pois “O queo Pai faz, o Filhoo faz também”.  E o queJesus Cristo faz é issoque devemos fazertambém.

O queDeus faz pelahumanidadenóspodemos lertambémna primeiraleiturae no Salmo de meditaçãoneste dia. A primeiraleitura deste dia, tirada do SegundoIsaías e foi escritadurante o exíliona Babilônia, nos apresenta Deusnãocomo o soberanoonipotente e majestoso, nemcomojuizimplacável, mascomo“aquelequetem compaixão”, que“consola”, que“conduz seuPovoàs fontes de água”, como uma mãecarinhosaquecuida dos seusfilhose se comove poreles. Sãoimagenscheias de calorhumano. Imagensque dizem comoDeus está ligado às criaturase comoEleas amacommuitaternura! Deus dialoga como homemnoslargosespaçosdo amor, nãono escrúpulo da observânciados preceitos. Deusamatodosnósmaisdo que uma mãequeamaseusfilhos: “Acaso pode a mulher esquecer-se do filhopequeno, a pontode nãoterpena do frutode seuventre? Se ela se esquecer, eu, porém, nãomeesquecerei de ti”, diz-nos Deus (Is 49,15). E a bondade, a ternura, a misericórdia, a justiça e a santidadede Deussãoproclamadas no Salmo de meditação deste dia.

No NT o amorcheio de ternurade Deus se fez carneem Jesus Cristo, Deus-Conosco (Mt 1,23; 18,20; 28,20), poisEle dá a vidapornóstodos: “Euvim paraquetodos tenham vidae a tenham abundantemente” (Jo 10,10b). Jesus coloca o homemacima de qualquerleiporsagradaqueela pareça sercomo a Leide Sábadoparao Povo eleito. ParaJesus a salvação do homem é muitomaisimportante do quea Lei do Sábadoporsagradoqueelepossa ser considerado, comolemos no texto do evangelhodeste dia. Todaa obra de Jesus é a obrado Paiquetem comofocoo serhumanoe sua salvação: “Emverdade, emverdadeEuvos digo, o Filhonão pode fazernadaporsimesmo; ele faz apenaso quevêo Paifazer. O que o Paifaz, o Filho o faz também” (Jo 5,19). Jesus trabalhacomo o Paiparasalvar o homem. A glóriade Deus é a salvação do homem. Jesus atua emperfeita sintonia como PaiqueO enviou. A plenaunidadena açãobrotade uma profundacomunhãode amorentreo Pai e o Filho. Por esta perfeitaunião Jesus tem o podersobre a vida e a autoridade de juízo.

As leiturasde hojenosconvidam a colocarmos o nossocoraçãoemharmoniacom o coração de Deus. É preciso contemplarmos o mistériode Cristo, Deus-Conosco paraque possamos alcançaro que diz SãoPaulo: “paratermoso pensamento de Cristo” (1Cor 2,16) ouparatermos“os mesmossentimentosque havia emJesus Cristo” (Fl 2,5). O quenosidentifica comCristoé o nossoamorfraterno (Jo 13,35; 15,12). Se Jesus coloca o homemacimade qualquerleiporsagradaqueelapareça ser, o cristãodeve estaremplenaunidadena açãocomCristoonde o serhumano é o foco de qualquertrabalho, pastorale apostolado. Somenteassim seremos chamados de irmãos, irmãs, mães, pais de Jesus: “Todoaquelequefaz a vontade de meuPaiqueestá noscéus, esse é meuirmão, minhairmã e minhamãe” (Mt 12,50). Se quisermos ser verdadeiros cristãos devemos trabalharemnome de Cristo e emperfeita sintonia de amorcomeleparaquetodosnóssejamos reflexos do amorde Deus neste mundo.

Os judeus acusaram Jesus por violar o Sábado. Mas Jesus respondeu: “Meu Pai trabalha até agora e eu também trabalho” (Jo 5,17). Trata-se de uma revelação surpreendente. Palavra que deve continuar ressonando e ressoando em nós. Deus “trabalha”! A palavra “Sabbat” (hebraico), Sábado, significa repouso. Acusaram Jesus de não respeitar o repouso de Sábado. Resposta de Jesus: Deus não cessa de trabalhar. Sim, Deus continua “trabalhando” em mim e através de mim, na Igreja e através da Igreja, nas pessoas de boa vontade e através delas, nos que ajudam os necessitados e através deles, nos doentes e através dos doentes, nos que guiam e ensinam os demais para o bem e através deles, nos que acolhem os outros como irmãos e através deles, nos que visitam os doentes e através deles, nos que alimentam os famintos e através deles, nos que lutam pela dignidade de sua família e a família dos demais. Deus continua trabalhando através das pessoas ao meu redor, e assim por diante. Deus realmente continua trabalhando. Jesus, o Filho amado do Pai continua cooperando no trabalho do Pai em salvar a humanidade, em devolver a dignidade para os excluídos e marginalizados. Por isso, ele curou o paralítico no Sábado. A salvação e a dignidade do paralítico estão acima de qualquer lei por sagrada que ela pareça ser. O ser humano é mais sagrado do que qualquer lei, pois ele é o templo do Espírito Santo (cf. 1Cor 3,16-17).

O Painão conhece o repouso, não cessou de trabalhar, porque enquanto o homem estiver/está oprimido pelo pecado e privado de liberdade, enquanto não tiver/não tem plenitude de vida, o Pai continuará trabalhando. Deus continua comunicando vida onde o homem coloca a morte, a esperança aos desesperados, a força aos debilitados, a guia e a luz de seu Santo Espírito para os desorientados e confusos. O amor de Deus pela humanidade está sempre ativo. Jesus atua como o Pai, não aceita leis que limitem sua atividade em favor da dignidade do homem.

Que nossolemacomocristãos seja o lemade Cristo: “O queo Pai faz, o Filhoo faz também”. Não podemos parar de fazer o bem como Jesus “passou a vida fazendo o bem” (At 10,38). Só assim seremos chamados de filhose filhas de Deus.

No fim do texto do evangelho de hoje Jesus fez a seguinte declaração: “Não fiqueis admirados com isso, porque vai chegar a hora em que todos os que estão nos túmulos ouvirão a voz do Filho e sairão: aqueles que fizeram o bem, ressuscitarão para a vida”. Os que praticam o bem não ficarão para sempre no túmulo. O túmulo nenhum é capaz de destruir quem pratica o bem a exemplo do próprio Jesus ressuscitado. A partir de Jesus e com Jesus a ressurreição e a vida começam para os homens que acreditam n’Ele e para aqueles que praticam o bem.

Jesus prosseguiu: “Em verdade, em verdade, eu vos digo, quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, possui a vida eterna. Não será condenado, pois já passou da morte para a vida”.A morte perdeu sua eficácia destruidora pela presença da vida, pela palavra vivificadora de Jesus, pela prática do bem. Crer é a orientação da vida para Jesus como centro da existência, ou orientar a vida para o bem. Vale a pena, então, fazer o bem todos os dias. Vale a pena não se cansar de praticar o bem apesar dos sofrimentos ou dificuldades. Uma vida dedicada ao bem do próximo é sempre uma vida glorificada. “Só a caridade, um dilúvio de caridade pode salvar o mundo” (Maritain).
 

P. Vitus Gustama,svd

É PRECISO CAMINHAR 2014-03-31 13:33:00

 
JESUS ME SALVOU DO MEUDESESPERO

Terça-feirada IV Semana da Quaresma

01 de Abril de 2014

 

Primeira Leitura: Ez 47,1-9.12

Naqueles dias, 1 o anjo fez-me voltar até a entrada do Templo e eis que saía água da sua parte subterrânea na direção leste, porque o Templo estava voltado para o oriente; a água corria do lado direito do Templo, ao sul do altar. 2 Ele fez-me sair pela porta que dá para o norte, e fez-me dar uma volta por fora, até a porta que dá para o leste, onde eu vi a água jorrando do lado direito. 3 Quando o homem saiu na direção leste, tendo uma corda de medir na mão, mediu quinhentos metros e fez-me atravessar a água: ela chegava-me aos tornozelos. 4 Mediu outros quinhentos me­tros e fez-me atravessar a água: ela chegava-me aos joelhos. 5 Mediu mais quinhentos metros e fez-me atravessar a água: ela chegava-me à cintura. Mediu mais quinhentos metros, e era um rio que eu não podia atravessar. Porque as águas haviam crescido tanto, que se tornaram um rio impossível de atravessar, a não ser a nado. 6 Ele me disse: “Viste, filho do homem?” Depois fez-me caminhar de volta pela margem do rio. 7 Voltando, eu vi junto à margem muitas árvores, de um e de outro lado do rio. 8Então ele me disse: “Estas águas correm para a região oriental, descem para o vale do Jordão, desembocam nas águas salgadas do mar, e elas se tornarão saudáveis. 9 Onde o rio chegar, todos os animais que ali se movem poderão viver. Haverá peixes em quantidade, pois ali desembocam as águas que trazem saúde; e haverá vida onde chegar o rio. 12 Nas margens junto ao rio, de ambos os lados, crescerá toda espécie de árvores frutíferas; suas folhas não murcharão e seus frutos jamais se acabarão: cada mês darão novos frutos, pois as águas que banham as árvores saem do santuário. Seus frutos servirão de alimento e suas folhas serão remédio”.
 

Evangelho: Jo 5,1-16
1Houve uma festa dos judeus, e Jesus foi a Jerusalém. 2Existe emJerusalém, perto da portadas Ovelhas, uma piscinacomcincopórticos, chamadaBetesda em hebraico. 3Muitosdoentesficavam ali deitados — cegos, coxos e paralíticos. 4De fato, umanjo descia, de vezemquando, e movimentava a água da piscina, e o primeirodoentequeaíentrasse, depois do borbulharda água, ficava curado de qualquerdoençaque tivesse. 5Aíse encontrava umhomem, que estava doentehavia trinta e oitoanos. 6Jesus viu o homemdeitado e sabendo queestava doente há tantotempo, disse-lhe: “Queresficar curado?” 7O doenterespondeu: “Senhor, nãotenho ninguémquemeleveà piscina, quandoa água é agitada. Quando estou chegando, outro entra na minhafrente”. 8Jesus disse: “Levanta-te, pega tua camae anda”. 9No mesmoinstante, o homem ficou curado, pegou suacama e começou a andar. Ora, essediaeraumsábado. 10Porisso, os judeus disseram ao homemquetinha sido curado: “É sábado! Nãoteé permitidocarregartua cama”. 11Elerespondeu-lhes: “Aquelequeme curou disse: ‘Pega tua camae anda’”. 12Entãolheperguntaram: “Quem é quete disse: ‘Pega tua cama e anda’?” 13O homemquetinhasido curado não sabia quemfora, pois Jesus se tinhaafastado da multidãoque se encontrava naquele lugar. 14Maistarde, Jesus encontrou o homem no Templo e lhedisse: “Eisqueestás curado. Nãovoltesa pecar, paraquenãote aconteça coisapior”. 15Entãoo homem saiu e contou aos judeusquetinha sido Jesus quemo havia curado. 16Porisso, os judeuscomeçaram a perseguir Jesus, porquefazia taiscoisasemdiade sábado.
——————-

No evangelho de hoje, Jesus cura um paralítico perto da piscina. É o tema da água viva, água que vive e dá a vida. Podemos ler também este tema através da revelação na visão do profeta Ezequiel na primeira leitura (Ez 47,1-9.12). A água como principio de vida é uma imagem que se encontra frequentemente na Bíblia (Por exemplo: Jl 4,18; Zc 14,8; Is 35 etc.).

A água de Ez 47 é protótipo de a água dos últimos tempos abertos por Cristo: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crê em mim, do seu interior manarão rios de água viva” (Jo 7,37-38; cf. Zc 14,8; Is 58,1). Em Jesus se cumpriu a profecia do profeta Ezequiel. Dele nos vem a grande efusão do Espírito que simbolizava a água. Unicamente de Jesus nos pode vir a fecundidade, a vida individual e coletivamente. A única salvação, a única solução se encontra em Jesus Cristo: “Em nenhum outro há salvação, porque debaixo do céu nenhum outro nome foi dado aos homens, pelo qual devamos ser salvos” (At 4,12).

O evangelista João nos apresenta Jesus, no evangelho de hoje, como libertador, como aquele que vem salvar a humanidade. A libertação se adquire não por meios mágicos, como o correr da água da piscina de Betesda, e sim mediante um encontro pessoal com o Senhor. Buscar a proximidade de Deus, permanecer junto a Ele, respirar Sua própria vida é o único mandamento que Deus propõe ao homem para que o homem seja salvo.

1. Jesus é Águaviva

O nomeda piscinaondese encontra o paralítico, comooutrosenfermos, é “Betesda”. Suaetimologiaaramaica significaria “casada misericórdia” (outrosdizem que significaria “lugar do derramamento”: beth ‘eshdah, hebariaco). É uma espécie de refúgioparaadoentados de todotipo. Essa piscinafoi descobertapelosarqueólogosem1931-1932 entre as ruínasda basílica de SantaAna.

Os enfermos(cegos, coxose paralíticos) estavam próximos dessa piscinaporqueacreditava-se que aquelas águas tinham podercurativo. Acreditava-se, conformeo relato, quequempulasse primeiro nessas águas, ficaria curado de suadoença. Por isso, podemos imaginar cada disputa e concorrência sem piedade, pois cada um quer ficar curado. Raiva, rancor e expectativa se misturam numa pessoa só. Raiva e rancor ao ver que o outro conseguiu rapidamente entrar na água. Expectativa porque cada um fica esperando o borbulhar da água para poder pular a fim de ficar curado. Mas isso supõe pessoas prontas para ajudar o doente a entrar na piscina. Mas até quando pode pular na piscina, tendo tanta gente doente perto da piscina. O nome “Betesda” que significa “casa de misericórdia” se torna um paradoxo, pois há mais miséria do que misericórdia.

Podemos imaginar também a solidão de um que sofria durante trinta e oito anos sem ninguém para ajudá-lo. Trinta e oito anos de sofrimento. Só faltavam dois anos para completar uma geração.  É um solitário que necessita da misericórdia de outras pessoas ali presentes, mas quem daria lugar para ele para pular na piscina? Cada uma dessas pessoas se preocupa com seu próprio doente.

O doente em questão está num estado desesperador: “Senhor, não tenho ninguém que me leve à piscina, quando a água é agitada. Quando estou chegando, outro entra na minha frente”.  O evangelista João gosta de ressaltar casos tão desesperadores, como Lázaro enterrado há quatro dias (Jo 11,39-44), o cego de nascença (Jo 9,1-41) para destacar o poder de Deus que ultrapassa os limites humanos, que faz o impossível em possível (Lc 1,37), o morto em uma pessoa viva etc..

Por esta razão o quemaisimportante neste relato nãoé saber se as águastinham ounãotinham podercurativo. O ensinamentofundamentalque o evangelistaJoão quernostransmitir é quea Palavra de Jesus é vivificante. A palavra de Jesus dá vida. Jesus é a águavivaque purifica e sacia a sedeeterna da felicidade do homem(cf. Jo 4,1-42). A palavra de Jesus tem poder vivificador, istoé, dá vida, vivifica. A vidaeterna, a salvação sóencontraem Jesus. Emsão João esta águaé o Espíritoquemana de Cristoglorificado: “Se alguém tiver sede, venha a mime beba. Quem crê emmim, do seuinterior manarão riosde águaviva” (Jo 7,37-38). Unicamente de Cristonos pode vir a fecundidade, a vida, tantopara o nívelpessoalcomopara o nívelcoletivo. Nossavida se rejuvenesce quandoo Espírito de Deusnos inunda.

2. A primaziado amorsobrea leiporsagradaqueela seja

“Ora, esse dia era um sábado” e o homem curado carrega sua cama no sábado que é proibido para os judeus. Com isso, o relato da curado enfermo da piscinaBetesda nos coloca dianteda polêmicatípicados evangelhos: a primaziado amorsobrea lei. Jesus enfatiza que a necessidadedo serhumanoestá acima de qualquerleiaindaque uma leiseja sagrada. Jesus nãose preocupa emcumpriro preceito de descanso(Jo 5,9b); paraelecontasomente o bem do homememqualquercircunstância, muito mais ainda quando se trata de uma vida em jogo.  Jesus comunica uma novavitalidadequepermite os homens se levantarem de prostração. Para os dirigentes do povo, ao contrário, contasomente a observânciada leioudo preceito (Jo 5,10). A observânciada lei de descansoequivale à observância da leitoda; suaviolação é a violação da leiinteira. O focoda atividade de Jesus é o homem e não a própriaatividade.

   

Precisamos nosexaminar se freqüentamos a Igrejasóparacumprirpreceitosouparacelebraralguma coisa. Precisamos nosperguntartambémse colocamos pessoas no centro de nossas atividadesou fazemos apenasuma agitaçãoestéril. Se não colocarmos as pessoascomo o centro de todas as nossas atividadespastorais, trabalharemos inutilmente na Igreja de Jesus Cristo. Ama menos que se preocupa demasiadamente com as regras. As regras devem ajudar o homem a crescer e a se aproximar mais de Deus.

3. Jesus é a nossaúnicaesperança

Os enfermosestão próximos da piscina, não podem entrarno Templo, estão esperando uma possibilidade de encontrar-se comDeus. Para o paralitico do evangelho de hoje, símbolo de tantosque esperam, a agitaçãoda águaeraalgoqueo mantinha na esperançaaindaque essa esperança levasse jámuitosanossem ver-se realizada: 38 anos de sofrimento, quaseuma vidainteira(o numero 40 representa uma geração).

A únicacoisaquemantinha o paralítico na esperança, apesarde umlongosofrimento, era a águaagitada de cura. Mas apareceu o inesperado, maior do quea águaagitada: Jesus Cristo, Águaviva.

O quemantém você na esperançanesta vida?  Qual é suaesperançanesta vida?

Jesus se aproxima do paralíticocomesta pergunta: “Queresficar curado?”. Apesarde seu relato poucolongo, Jesus compreende que o paralíticoquerrealmentea cura. Porisso, logoemseguidaJesus disse as seguintespalavras: “Levanta-te, pegatua cama e anda”.A cama carregava o paralíticodurante tanto tempo e o fazia deitado nela. Agoraé elequemcarrega a cama. É superação! A forçade Jesus penetra na vidadesse homemqueo faz capaz de superartudo na vida e de carregar tudo, pois a força que está dentro é a própria força do Senhor.

“Queresficar curado?” é a perguntadirigida a cadaumde nós. Queresficar curado do teupecado e de tua mesquinhez? Queresficar curado da tua angústia, da tua confusão, e de tua preocupação? Queresficar curado da tua doença, da tua depressão? Masserá quenóssabemos o que queremos? Será queainda somos capazes de querere de quererviver? Quemnos dará hoje a vontadede viver, de reviver? Quemnos dará forçasparalutare andar?

“Levanta-te e anda!”. Levantar-se e andar é o começo de uma vida nova. Deus quer um “homem de pé”, um homem que avança, um homem capaz de superar-se. O pecado é uma paralisia. O pecado paralisa o homem. O “homem de pé” é capaz de levar sua “cama” que o oprimia, é capaz de suportar-se a si mesmo. Para isso o homem precisa escutar atentamente a Palavra de Deus.

P. Vitus Gustama,svd

Por que o Católico não pode ser Espírita?

Cada religião possui seus dogmas, seus artigos de fé. Se duas religiões possuíssem os mesmos pensamentos e dogmas não seriam duas, mas apenas uma. Por isso, uma pessoa não pode participar de duas religiões, pois não cumprirá honestamente nem u…

Retiro quaresmal – Na piscina do Enviado, a Luz (6)

24Os fariseus chamaram uma segunda vez o homem que tinha sido cego e lhe disse: “Dá glória a Deus! Nós sabemos que este homem é um pecador”. 25Respondeu-lhes ele: “Eu não sei se é pecador; só sei uma coisa: eu era cego e agora vejo”. 26Eles lhe disseram: “Que te fez Ele? Como te abriu os olhos?” 27Ele respondeu: “Eu já vo-lo contei, mas vós não escutastes! Por que quereis ouvi-lo mais uma vez? Desejais acaso tornar-vos Seus discípulos também?” 28 – Os fariseus se puseram então a injuriá-lo e diziam: “Tu é que és Seu discípulo! Quanto a nós, somos discípulos de Moisés. 29Nós sabemos que Deus falou a Moisés, ao passo que Este, não sabemos de onde é!” 30O homem lhes respondeu: “Aí está, de fato, o que é espantoso, que não saibais de onde Ele é, Ele que me restituiu a vista! 31Sabemos que Deus não atende os pecadores; mas se um homem é cheio de piedade e faz a Sua vontade, Deus o atende”.

Comentando:

Os fariseus novamente chamam o cego. Não procuram a luz, não buscam a verdade, mas unicamente justificar sua descrença e nela descansarem tranquilamente. Fecham-se para o que Deus está mostrando no sinal feito por Jesus e, no entanto, intimam o cego a dar glória a Deus! É impressionante a cega soberba com que unem o Nome bendito e santo de Deus à tranquila afirmação que Jesus é um pecador: “Sabemos que este homem é um pecador!” Cegueira ímpia, presunçosa, soberba, totalmente fechada à luz! Atento, caro Leitor, porque tal cegueira pode ser a nossa em tantas ocasiões na vida, constituindo-se mesmo um pecado contra o Espírito Santo! Quantas vezes nos fechamos! Quantas vezes nos negamos a acolher os apelos do Senhor na nossa vida! – Piedade, Santo Deus, Santo Forte, Santo Imortal! Piedade!

O cego contrapõe-se à soberba dos fariseus com uma constatação simples e forte: a sua experiência, que desarma e desmoraliza a segurança presunçosa dos seus interlocutores: “Eu não sei se é pecador; só sei uma coisa: eu era cego e agora vejo”. Contra tal experiência os fariseus nada podem! Ainda hoje, todo aquele que experimentou ser iluminado por Cristo, todo aquele que encontrou o Senhor, que a Sua doçura, que experimentou Jesus agindo na sua vida, pode experimentar a força de tal certeza: minha situação mudou: eu era cego e mendigo, eu era ninguém, eu estava perdido e agora vejo; agora “sou eu mesmo!”

Os fariseus perguntam: “Que te fez ele?” Mas não querem de verdade saber, não procuram compreender e, por isso, não merecem uma resposta séria. O cego, homem simples do povo, os desmoraliza com fina e jocosa ironia: “Eu já vo-lo contei, mas vós não escutastes! Por que quereis ouvi-lo mais uma vez? Desejais acaso tornar-vos seus discípulos também?”

A resposta dos fariseus, que aqui representam o pensamento judaico de modo geral, é triste: somos discípulos de Moisés, paramos em Moisés! Temos certeza de que Deus falou a Moisés. Quanto a este Jesus, não sabemos de onde é! Dizem isto, teimam nisto mesmo depois que Jesus lhes dissera quem Ele era e donde Ele vinha, nos capítulos 7 e 8 – vale a pena lê-lo…. Não aceitam que Jesus vem de Deus, que ele é o próprio EU SOU, maior que Abraão; insistem na sua cegueira…

Mas, o que fora cego e agora vê, ainda uma vez, desmascara a cegueira teimosa dos fariseus, desmoralizando a ignorância deles, que se julgavam mestres: “Isto é espantoso! Ele me restituiu a vista e não sabeis de onde Ele é e, no entanto, abriu-me os olhos! Sabemos que Deus não atende os pecadores; mas se um homem é cheio de piedade e faz a sua vontade, Deus o atende”. O que fora cego vê que Jesus é um profeta, um justo que vem de Deus. Ainda não é toda a verdade sobre Jesus, mas sua fé vai amadurecendo, vai crescendo sempre mais… Vamos ver onde isto vai dar…

– Senhor Jesus, maior que Moisés,

Tem piedade de mim, pecador!

Senhor Jesus, Justo e Santo de Deus,

Tem piedade de mim, pecador!

Senhor Jesus, que tornas sábios os humildes e confundes os presunçosos,

Tem piedade de mim, pecador!

Senhor Jesus, Sacerdote para a Eternidade,

Mediador entre o Pai e os homens,

Tem piedade de mim, pecador!

Tem piedade de mim e do mundo inteiro!



Retiro quaresmal – Na piscina do Enviado, a Luz (5)

18 Mas enquanto não convocaram os seus pais, os judeus se recusaram a crer que ele tinha sido cego e recobrado a vista. 19E perguntaram aos pais: “Este homem é de fato o vosso filho que pretendeis ter nascido cego? Então como é que agora ele vê?” 20Os pais lhes responderam: “Nós temos certeza de que este é de fato o nosso filho e que ele nasceu cego. 21Como é que agora ele vê, nós o ignoramos! Quem lhe abriu os olhos? Nós o ignoramos. Interrogai-o, ele já tem idade suficiente, ele mesmo que se explique a seu respeito!” 22Os seus pais falaram assim porque tinham medo dos judeus. Estes já haviam decidido excluir da sinagoga todos aqueles que confessassem que Jesus é o Cristo. 23Eis por que os pais disseram: “Ele já tem idade suficiente, interrogai-o”.

Comentando:

Os fariseus – e aqui João diz “os judeus” porque deseja mostrar a situação espiritual dos judeus de modo geral – não querem crer e chamam os pais do cego. É um mistério que não compreenderemos neste mundo, mas Israel como um todo rejeitou e rejeita Jesus como o Messias esperado. Não adianta querer afirmar que foram somente os chefes judeus que não creram em Jesus: foi Israel como um todo! Somente um Resto humilde e pobre acreditou, como os profetas Isaías e Sofonias anunciaram! Veja as atitudes, meu Leitor: os judeus são descrentes e se fecham, os pais do que fora cego são covardes e se omitem para não sofrer represálias… Não são estas atitudes nossas muitas vezes?

Um detalhe interessante: os judeus somente decidiram expulsar da sinagoga quem fosse cristão lá pelo final do século I. Nesta época o Templo já havia sido destruído e os fariseus eram os únicos líderes judeus. Recorde que até o tempo de São Paulo, os cristãos rezavam no Templo e os judeus viam os “nazarenos” como um dos tantos grupos em que estava dividido o judaísmo. À medida que os cristãos iam afirmando sempre com mais força a divindade de Jesus e a não necessidade da prática da Lei de Moisés para a salvação, os judeus, capitaneados pelos fariseus, foram rejeitando os cristãos, a ponto de introduzirem na oração da sinagoga uma maldição aos cristãos. Efetivamente, pelo ano  100, o Rabino Gamaliel II introduziu na Oração das Dezoito Bênçãos – parte da liturgia sinagogal diária – uma décima nona benção, que fala contra os hereges e pede “que não haja esperança para os apóstatas e que o reino do orgulho seja prontamente erradicado em nossos dias; os Nazarenos e os hereges morram subitamente, e sejam cancelados do Livro dos vivos e não sejam contados no número dos justos. Bendito sejas, ó Adonai, que abaixas os orgulhosos!” Um cristão não poderia nunca participar da oração da sinagoga com uma maldição dessas! Estava consumada a excomunhão dos cristãos! Foi por este tempo que o IV Evangelho foi escrito. Por isso João diz que os judeus haviam decidido expulsar do judaísmo quem confessasse o Nome de Jesus! Como quer que seja, ainda hoje, confessar o Nome de Jesus nos expulsa de muitos lugares e de muitos corações… Ai de nós, se formos covardes como os pais desse cego: para não serem expulsos, não se comprometem, não assumem publicamente que seu filho era cego e voltou a enxergar, estava nas trevas e encontrou a Luz!

– Senhor Jesus Cristo,

Envergonho-me

De quando omiti minha fé em Ti,

De quando escondi meu amor por Ti,

De quando calei-me e, covardemente, não proclamei o Teu Nome!

Tantas vezes e de tantos modos tive medo que percebessem

Que creio em Ti,

Que Te dei minha vida,

Que em Ti está a minha esperança.

Kyrie eleison! Kyrie eleison!


Retiro quaresmal – Na Piscina do Enviado, a Luz! (4)

13Levaram aos fariseus o homem que tinha sido cego. 14Ora, foi num sábado que Jesus fizera lama e lhe abrira os olhos. 15Os fariseus, por sua vez, perguntaram-lhe como tinha recobrado a vista. Ele lhes respondeu: “Ele me aplicou lama nos olhos, eu me lavei e agora vejo”. 16Entre os fariseus, uns diziam: “Esse indivíduo não observa o sábado, portanto não é de Deus”. Mas outros diziam: “Como é que um homem pecador teria o poder de operar tais sinais?” E havia divisão entre eles. 17Então eles se dirigiram de novo ao cego: “E tu, que dizes daquele que te abriu os olhos?” Ele respondeu: “É um profeta”.

Comentando:

Que tristeza: levam o homem renascido em Cristo, iluminado pelo Salvador, aos fariseus… Como pode o Antigo Testamento ler o Novo? Como podem os odres velhos da Antiga Aliança conter o vinho novo, vinho da Nova Aliança no Espírito, que embriaga e dá Vida?  É o novo que interpreta o Antigo e lhe dá o sentido pleno! Jesus havia prevenido para não colocar o vinho novo que ele trouxera nos odres velhos da Lei de Moisés (cf. Mt 9,17). O mesmo acontece com as seitas ditas evangélicas: tomam o Antigo Testamento ao pé da letra e depois querem que o Novo Testamento caiba aí! Terminam idolatrando a letra de Lei e fazendo guerra, uns por causa de imagens, outros por causa de comida e de sábado, outros ainda por causa de transfusão de sangue e por aí em diante… Não adianta levar um cristão ao judaísmo, levar o Novo Testamento para ser explicado pelo Antigo! O resultado? Confusão!

Observe como os fariseus são incapazes de se admirarem, de se perguntarem se esse Jesus não seria realmente o Messias, se eles não estariam diante de uma maravilhosa obra de Deus! Nada disso: simplesmente raciocinam com os critérios do Antigo Testamento compreendido de modo absolutamente legalístico: Esse homem não guarda o sábado – o sábado como nós o interpretamos; logo, não vem de Deus! E pronto! Observe que alguns, no entanto, deixam-se tocar e se perguntam, tão impressionante foi o milagre que o Senhor nosso realizou. Quanto ao cego, que no início sequer sabia onde estava Jesus, continua seu caminho de fé e agora declara que Jesus é um profeta, isto é, alguém que fala e age da parte de Deus. Ainda não é uma fé madura, plena, mas o caminho catequético vai sendo feito…

Senhor Jesus,

Dá-me um coração generoso

para reconhecer Tua obra na vida dos meus irmãos,

Dá-me a capacidade de ser-Te fiel

Sem, no entanto, ser presa de um legalismo cego,

Que se recusa a ver a amplidão da Tua presença

E da Tua soberana atividade no mundo!

Converte o meu coração:

Alarga-o,

Dilata-o,

Torna-o à imagem do Teu Coração!

Filho de Deus, Luz da Luz,

Tem piedade de mim, pecador!



Retiro Quaresmal – Na Piscina do Enviado, a Luz (3)

8As pessoas da vizinhança e os que antes costumavam vê-lo – pois era um mendigo – diziam: “Não é aquele que ficava sentado pedindo esmolas?” 9Uns diziam: “É ele mesmo!” Outros diziam: “Não! Deve ser alguém parecido com ele”. Mas o cego afirmava: “Sou eu mesmo”. 10Então, eles lhe disseram: “Neste caso, como é que se abriram os teus olhos?” 11Ele respondeu: “O homem a quem chamam Jesus faz lama, esfregou-a nos meus olhos e me disse: ‘Vai a Siloé e lava-te’. Então eu fui, lavei-me e recuperei a vista”. 12Eles lhe disseram: “Onde está Ele?” Ele respondeu: “Não sei”.

Comentando:

Algumas observações, meu Leitor. Veja só este homem recriado pelo Senhor, que lhe soprou o Seu Espírito e fez do seu barro um vaso novo! Ele já não é um mendigo, já não é aquele sentado à margem da vida! Ele agora é iluminado, pode discernir segundo a luz do Senhor. É ele, mas ele de um modo totalmente novo, tão novo que seus conhecidos já não mais o reconhecem! É ele? Sim é ele! Mas, já não mais é ele! “Eu vivo, mas já não eu: Cristo vive em mim!” Lembra que São Paulo disse isto? Lembra que também ele ficou cego para reconhecer que era cego e voltou a enxergar tudo na luz de Cristo? “Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor!” (Ef 5,8). O que fora cego diz: “Sou eu mesmo!” Isto: é ele, mais que nunca; ele recriado, ele verdadeiramente iluminado em Cristo!

Recorde que o Evangelista, aproveitando a cura do cego, deseja fazer uma catequese batismal. O cego fora curado na piscina do Enviado; já pode ver a luz, mas sua fé é ainda necessitada de amadurecimento, de catequese! Ele já sabe que fora curado por Jesus, mas não sabe ainda direito onde encontrá-Lo, não sabe nem direito quem é Ele: “O homem a Quem chamam Jesus…”

– Senhor Jesus, Tu és minha Luz,

Tu me iluminaste na Tua santa Piscina,

Na pia batismal, útero da Mãe católica!

Ajuda-me a conhecer-Te sempre mais,

A conhecendo-Te, amar-Te

E amando-Te, confessar-Te

Com minha boca, com minha vida, com meu coração!

Ó Tu que me iluminaste,

E me regeneraste,

E me resgataste,

E me fizeste nova criatura,

E me deste a verdadeira dignidade de filho de Deus,

Reformando em mim a imagem deformada,

A Ti a glória,

Hoje e para sempre. Amém.



Votação do PNE será em 2 de abril, quarta-feira

Por Hermes Rodrigues Nery – Fratres in Unum.com: Os esforços do governo do PT em incluir a ideologia de gênero no Plano Nacional de Educação (PNE) comprova, mais uma vez, a inteira disposição de aplicar todas as diretrizes e metas contidas no Plano Nacional de Direitos Humanos 3, visando utilizar todos os meios e recursos para disseminar a […]

Deus faz festa quando o procuramos na confissão, diz o Papa Francisco

VATICANO, 28 Mar. 14 / 02:40 pm (ACI/EWTN Noticias).- O Papa Francisco presidiu uma solene liturgia penitencial na Basílica de São Pedro, como parte da iniciativa lançada pelo Pontifício Conselho para a Nova Evangelização “24 horas para o Senhor”. Estava previsto que o Papa confessasse na Basílica de São Pedro a um grupo de paroquianos, […]

Retiro Quaresmal – Na Piscina do Enviado, a Luz! (2)

4“Enquanto é dia, temos que realizar as obras daquele que me enviou; vem a noite, quando ninguém pode trabalhar. 5Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo”.

Comentando:

Este “dia” de que fala Jesus é o Seu tempo neste mundo, tempo para realizar a obra de salvação que o Pai Lhe confiou. A “noite” é o tempo da Sua Paixão e Morte, da Sua partida do mundo. Enquanto Ele estiver neste mundo, realizará incansavelmente a obra do Pai: será luz que revela a glória do Pai, dissipando a treva humana… Depois de ressuscitado, Ele estará no mundo na potência do Seu Santo Espírito e, na força salvífica dos sacramentos, continuará a ser, de modo ainda mais profundo, amplo e perenemente presente a todos os tempos, a Luz do mundo! Isto, porque o Santo Espírito que o Salvador ressuscitado doará continuamente nos sacramentos da Igreja, torna Jesus presente a todos os tempos, em todos os lugares em que são celebrados e no íntimo de cada fiel, pois onde está o Espírito, aí está o Cristo Jesus!

6Tendo dito isso, cuspiu na terra, fez lama com a saliva, aplicou-a sobre os olhos do cego 7e lhe disse: “Vai lavar-te na piscina de Siloé – que quer dizer ‘Enviado’. O cego foi, lavou-se e voltou vendo”.

Não canso de admirar e saborear a beleza das narrativas de São João! De modo elegante, conciso, forte, ele diz tudo! Jesus é a Luz do mundo e vai dar luz a esse cego que, de nascença, nunca vira a luz. Para isto, cospe e faz lama com a saliva. O significado é profundo: para os judeus, a saliva é o nosso sopro feito líquido. Então, Jesus infunde o Seu sopro, isto é, o Seu Espírito no barro, como Deus, que no princípio, plasmou o homem da terra e soprou-lhe nas narinas um hálito de vida! Veja, meu Leitor, o que o Evangelista está procurando nos dizer: Jesus vai recriar, vai fazer desse homem uma nova criatura, um homem de verdade!

O Senhor aplica a saliva nos olhos cegos e ordena que o homem se lave na piscina do Enviado. Ora, o Enviado é Jesus e Sua piscina é aquela do santo Batismo, é a pia do seu e do meu Batismo! Nunca esqueça: nós todos nascemos cegos; nascemos no pecado (cf. Sl 51/50,7), nascemos não filhos de Deus, mas filhos da ira (cf. Rm 1,18)! O Senhor “viu” a nossa situação, “viu-nos”, como viu aquele cego! Eis o desejo do Senhor: que todos os cegos do mundo, todos nós, que nascemos cegos pelo pecado original, creiamos em Cristo e nos lavemos na Sua piscina: “Quem crer e for batizado será salvo!” (Mc 16,16). Ali sim, naquela santa Piscina, enxergaremos a verdade: que Jesus é o Senhor, o Messias de Deus, o nosso único Salvador! Façamos como o cego do Evangelho: “O cego foi, lavou-se e voltou vendo!”

Para que você saiba bem: na antiguidade  cristã, o Batismo era chamado de Iluminação, em grego, photismós. Com efeito, assim como o recém-nascido segundo a carne vê a luz deste mundo, o renascido no Espírito de Cristo, presente na água da pia batismal, vê a luz de Cristo, é por Ele iluminado! Assim, um cristão, um iluminado por Cristo, não pode ver o mundo, ver as coisas como os pagãos veem: “Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor; andai como filhos da Luz!” (Ef 5,8)Que miséria constatar tantos discípulos de Cristo, iluminados “na piscina do Enviado”, continuam pensando, falando, agindo, vivendo segundo a treva do mundo!

Ainda mais um detalhe: recorda do Evangelho da Samaritana? Jesus não disse que daria uma Água que jorra para a Vida eterna? Olhe a Água aí novamente, agora na piscina do Enviado! Lá e cá, na Samaritana e em Siloé, a água tem o mesmo significado: é o Espírito que o Senhor morto e ressuscitado nos dará! “Em verdade, em verdade Eu vos digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus! O que nasce da carne é carne; o que nasceu do Espírito é espírito” (Jo 3,5-6), é homem espirituado, é nova criatura, iluminado, nascido para a Vida eterna!

– Senhor Jesus, Luz do mundo,

Luz que não conhece ocaso,

Recria-me com a força do Teu Espírito!

Lembra-Te, ó Santíssimo Salvador,

Que eu fui lavado na Tua piscina,

Fui iuminado,

Fui purificado,

Fui regenerado – gerado de novo!

No entanto,

Por minha preguiça,

Por minha displicência,

Por minha soberba,

Muitas vezes sou cego,

Muitas vezes, sujo,

Muitas vezes morto no meu coração!

Piedade, ó Piedoso!

Misericórdia, ó Misericordioso!

Senhor, Amigos dos Homens!

Pelos santos exercícios quaresmais

Ilumina-me,

Purifica-me,

Renova-me,

Para que eu possa santamente celebrar o solenidade bendita da Tua Páscoa

E, na hora de minha morte, possa fazer minha Páscoa para a eternidade

Na tua luminosa Presença, quando serás minha lâmpada para sempre (cf. Ap 21,23). Amém.