Mês: setembro 2013

“A criatividade nunca esteve presente na Liturgia cristã” – Dom Henrique Soares da Costa

Fonte: Salvem a Liturgia Por Dom Henrique Soares da Costa (grifos nossos): Criatividade. Este conceito nunca esteve presente na Liturgia cristã. É-lhe totalmente estranho! Na antiguidade mais primitiva, não havia ainda textos litúrgicos formados. É natural, é claro: a Igreja não nascera feita! Fundada pelo Cristo-Deus, foi plasmada pelo Seu Santo Espírito, conforme Sua própria promessa. Mesmo […]

João Paulo II será canonizado no dia 27 de abril de 2014

Papa-joao-paulo-ii

Definida a data da canonização do beato João Paulo II, o Papa de Nossa Senhora

Foi definida, hoje, após um consistório ordinário, a data de canonização do beato Papa João Paulo II. O Papa Francisco decretou que ela deve acontecer no dia 27 de abril de 2014, celebração do 2º domingo da Páscoa e da Divina Misericórdia.

O dia para elevar o grande João Paulo II à honra da santidade não poderia ser mais apropriado. Afinal, foi em um sábado, 2 de abril, véspera da festa da Divina Misericórdia, que o bem-aventurado foi levado para junto de Deus e de Maria Santíssima. Um presente do Céu ao Pontífice que, em vida, foi um ardoroso apóstolo da misericórdia divina.

De fato, em 1980, ainda no início de seu reinado, João Paulo II publicou uma encíclica especialmente dedicada ao tema da misericórdia. Na carta Dives in Misericordia, Sua Santidade recordou a grandeza do amor de Deus, que se fez carne, abaixou-se à condição humana, quando o homem ainda era escravo do pecado: “Eis aqui uma prova brilhante de amor de Deus por nós: quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós” (Rm 5, 8). O Papa Wojtyla escreve que “o amor condiciona (…) a justiça; e, em última análise, a justiça serve a caridade”. Ou seja, ao invés de receber aquilo que merecia por seu pecado, a saber, a danação eterna e a privação de Deus, o Senhor quer que todos se salvem (cf. 1 Tm 2, 4). Ele ama o homem e manifesta-lhe “o primado e a superioridade do amor em relação à justiça”: a Sua misericórdia.

Um ano depois, no dia de Nossa Senhora de Fátima, o Papa enfrentaria um dos momentos mais difíceis de seu pontificado: Ali Agca, um terrorista turco, baleou o Santo Padre, deixando-o gravemente ferido. João Paulo II era chamado a experimentar com mais força a misericórdia de Deus e a transmiti-la àquele que tinha tentado assassiná-lo: em 1983, ele visitou o atirador e ofereceu-lhe o seu perdão. Os jornais do mundo inteiro repercutiram a notícia e as pessoas falavam da bondade do sucessor de São Pedro que, obediente à palavra de Cristo, decidira perdoar até setenta vezes sete (cf. Mt 18, 21).

João Paulo II foi o Papa que derrotou o comunismo na União Soviética e no leste da Europa; foi o Papa da “Teologia do Corpo”, a resposta mais efetiva da fé cristã à malfadada “ideologia de gênero”, que procura subverter a própria ordem da criação divina; foi o Papa da Evangelium Vitae, a combativa encíclica que reafirmou a inviolabilidade da vida humana frente aos avanços da ciência moderna; da Fides et Ratio, que desmentiu a farsa de que fé e razão seriam opostas ou inimigas; da Ecclesia de Eucharistia, que recordou o primado da fé eucarística na Igreja e denunciou os abusos que se faziam – e ainda se fazem – na celebração deste sacramento…

No entanto, jamais compreenderá totalmente a personalidade, o carisma e o pontificado de João Paulo II quem ignorar que este foi um homem profundamente devoto de Nossa Senhora. Tão forte era sua ligação com a Virgem Santíssima que Wojtyla atribuíra a ela a sua salvação, após o atentado terrorista que quase o matou prematuramente. Sua Santidade era consagrado a Maria pelo método de São Luís Maria Grignion de Montfort: o seu pontificado era, em última instância, o reinado da Mãe de Jesus, a quem ele se dirigia com o belo lema “Totus tuus – Todo teu”.

A sua beatificação e canonização tão rápidas certamente são obras de Maria, que quer apressar no mundo o triunfo do Seu Imaculado Coração. A Igreja espera ansiosamente o dia 27 de abril, para celebrar com mais ênfase o mistério da comunhão dos santos e a santidade deste grande Papa que foi João de Deus. Bem-aventurado João Paulo II, rogai por nós!

Por Equipe Christo Nihil Praeponere

Novena de Santa Teresinha – 4º dia

” Compreendi o que Jesus disse no Evangelho: ” Melhor seria ser lançado ao mar, do que escandalizar um só destes pequeninos. ” (H.A. 148)

Santa Teresinha entendeu que sua missão era contribuir para que todos fizessem uma experiência com Deus. Preferia lançar-se ao mar do que fazer o contrário.

Rezemos:

“Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, eu Vos agradeço todos os favores, todas as graças com que enriquecestes a alma de Vossa serva Santa Teresinha do Menino Jesus, durante os 24 anos que passou na terra e, pelos méritos de tão querida Santa, concedei-me a graça que ardentemente Vos peço (faça o pedido pessoal) se for conforme a Vossa Santíssima vontade e para salvação de minha alma. 

Ajudai minha fé e minha esperança, ó Santa Teresinha, cumprindo mais uma vez sua promessa de que ninguém Vos invocaria em vão, fazendo-me ganhar uma rosa, sinal de que alcançarei a graça pedida”. 

Reza-se em seguida 24 vezes: 

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Santa Teresinha do Menino Jesus, rogai por nós.

Estudo sobre a Igreja Católica Apostólica Romana:: Divina e Humana, santa e santificadora

A cada dia que passa, mais eu tenho a certeza que a Igreja Católica Apostólica Romana é o maior presente que Jesus Cristo deixou para a humanidade. Quando penso na complexidade dela, mais eu me encanto. Sua riqueza é incalculável! Não sei se podemos medir o valor da Igreja Católica, mas basta saber que é […]

Novena de Santa Teresinha – 3º dia

“Acabo, minha Mãe, de resumir em poucas palavras o que o Bom Deus fez por mim. Vou agora entrar nas minúncias de minha vida de criança. Sei que onde qualquer outra pessoa só veria uma narração enfadonha, vosso coração maternal encontrará encantos…” (H.A. 12)
Teresinha sabia que sua vida era uma história de amor: o amor que ela tinha por Deus e Ele por ela. Seu desejo era suas palavras encantassem outros a viver esse amor.
Esse amor de Deus está sempre presente em nossas vidas, em todos os momentos! Que a intercessão de Santa Teresinha nos impulsione a olhar para nossa história e ver o amor de Deus em tudo.
Rezemos:

“Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, eu Vos agradeço todos os favores, todas as graças com que enriquecestes a alma de Vossa serva Santa Teresinha do Menino Jesus, durante os 24 anos que passou na terra e, pelos méritos de tão querida Santa, concedei-me a graça que ardentemente Vos peço (faça o pedido pessoal) se for conforme a Vossa Santíssima vontade e para salvação de minha alma. 


Ajudai minha fé e minha esperança, ó Santa Teresinha, cumprindo mais uma vez sua promessa de que ninguém Vos invocaria em vão, fazendo-me ganhar uma rosa, sinal de que alcançarei a graça pedida”. 

Reza-se em seguida 24 vezes: 

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, como era no princípio, agora e sempre. Amém.


Santa Teresinha do Menino Jesus, rogai por nós.

Quem espera mudanças radicais em questão moral com o Papa acabará frustrado, diz Arcebispo

SEVILHA, 27 Set. 13 / 11:07 am (ACI/Europa Press).- O Arcebispo de Sevilha (Espanha), Dom Juan José Asenjo, mostrou-se convencido de que a Igrejanão sofrerá um “giro copernicano” com o trabalho de Francisco, assegurando que “quem espera decisões radicais em matéria de dogma ou moral se sentirá frustrado”. “É necessário ser moderados e prudentes, porque pode […]

Novena de Santa Teresinha – 2° dia

“Um coração de mãe sempre entende sua filha, muito embora esta só saiba balbuciar, tenho pois a certeza de ser compreendida e adivinhada por vós que me formaste o coração e o ofertastes a Jesus!” ( H.A. 9)

Teresinha não se preocupava com palavras bonitas. No seu coração tinha a confiança de que seria entendida, como a mãe que entende seu filho.
Muitas vezes nos preocupamos com o superficial. Hoje Teresinha nos ensina a, como criança, termos a certeza de que o Senhor conhece nosso coração e sabe de todas as coisas.
Rezemos:

“Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, eu Vos agradeço todos os favores, todas as graças com que enriquecestes a alma de Vossa serva Santa Teresinha do Menino Jesus, durante os 24 anos que passou na terra e, pelos méritos de tão querida Santa, concedei-me a graça que ardentemente Vos peço (faça o pedido pessoal) se for conforme a Vossa Santíssima vontade e para salvação de minha alma. 

Ajudai minha fé e minha esperança, ó Santa Teresinha, cumprindo mais uma vez sua promessa de que ninguém Vos invocaria em vão, fazendo-me ganhar uma rosa, sinal de que alcançarei a graça pedida”. 

Reza-se em seguida 24 vezes: 

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, como era no princípio, agora e sempre. Amém. 

Santa Teresinha do Menino Jesus, rogai por nós.

Há base bíblica para afirmar que Maria é rainha do universo?

 

Por Jorge Arturo Rodriguez Reyna

Nossos irmãos protestantes ficam chocados quando ouvem que nós católicos nos referimos à Maria como “Rainha do Universo”. E para tentar justificar a sua oposição, citam referências bíblicas, em relação ao culto proibido por Deus à “rainha dos céus”:

“Os filhos apanham a lenha, os pais acendem o fogo, e as mulheres amassam a farinha para fazerem bolos à rainha do céu, e oferecem libações a outros deuses, para provocarem minha ira” (Jeremias 7,18).

Segundo eles, isso seria argumentar em seu favor que Deus está contra nós consideramos Maria como “Rainha do Universo”. Mas se você tomar um pouco mais de tempo e analisar a palavra de Deus com cuidado e sem preconceito anti-católico, o aviso e a condenação para esse culto foram para deusas pagãs: Astarte, Ishtar, Afrodite, entre outros nomes. Por outro lado, essas “deusas” eram adoradas como sabemos e ensina a Igreja Católica, devemos adorar somente a Deus e, por isso, era óbvio que o Senhor proibiu. Além disso, o amor que nós dedicamos à Maria, Mãe de Deus e Rainha do Universo, é de veneração, que é apenas um especial respeito e amor, mas nunca adoração, como argumentam alguns irmãos protestantes erroneamente mal informados. Vale destacar que o culto de veneração é diferente, como demonstrado em um artigo anterior (1).

Vamos ver que se nós católicos consideramos Maria como “Rainha

Read More…

Um cristão é capaz de enfrentar as humilhações com alegria e paciência, diz o Papa

VATICANO, 27 Set. 13 / 03:53 pm (ACI/EWTN Noticias).- A prova para compreender se um cristão é um cristão realmente está na “capacidade de suportar com alegria e paciência as humilhações”. Assim o indicou o Papa Francisco nesta manhã na homilia da Missa que presidiu na Casa Santa Marta onde reside. O Papa voltou novamente a advertir […]